045 OpenBSD

opencast_episodio_45

Um pouco atrasado, mas ainda estamos na semana de publicação do Opencast. Neste episódio, Ivan, Diego, Aprígio e o convidado especial Antonio Feitosa falam um pouco sobre o OpenBSD.

Se você é do Rio Grande do Sul ou Santa Catarina e precisa de serviços de cabeamento estruturado, câmeras de segurança dentro do padrão de cabeamento estruturado, nobreaks(venda e manutenção), som ambiente, equipamentos de informática de padrão corporativo ou ainda consultoria na área de T.I., não deixe de entrar em contato com nosso patrocinador Dataware pelo telefone (54) 3712 0177.

Links do episódio

Twitter: @tecnologiaabert

Facebook: http://www.facebook.com/tecnologiaaberta

Google+: Tecnologia Aberta

Youtube: Tecnologia Aberta

E-Mail: opencast@tecnologiaaberta.com.br

Feed do Opencast: http://tecnologiaaberta.com.br/feed/opencast/

iTunes: http://itunes.apple.com/br/podcast/id424732898

Créditos das músicas usadas neste programa:

Todas as músicas deste episódio podem ser encontradas em http://www.openbsd.org/lyrics.html

Opencast , , , 12/12/2014 23:46 26 Comentários

26 Comentários

  1. Antonio Carlos disse:

    Parabéns ao Antonio Feitosa pela sua participação no opencast. Aprendi muito.

  2. Mário RPG disse:

    nesse epsodio… COITADO desse Aprigio Simãos que não entende nadinha de SOFTWARE LIVRE…:p

  3. Mário RPG disse:

    esse foi o melhor epsodio do ano, valeu a pena demais, aprendi muito, abraço

  4. Ramires disse:

    Ola Amigos,
    Excelente podcast, tema bastante interessante.
    Uma aula sobre licenciamento Unix, a questão dos binários embutidos no Linux, as diversas formas de licença, enfim vários tópicos abordados e explicados de forma clara e sucinta.
    Penso que a sopa de letrinhas das licenças GPL, BSD, Apache, CC, daria um podcast a parte.
    Mais uma vez aprendendo muito sobre tecnologia.
    Uma falta no Podcast, foi sobre o uso em desktop, gerenciadores de janela (o Feitosa disse usar XFCE), e ja que o tema é Desktop, estranhei o fato dele não citar o PC-BSD, que apesar de ser baseado no FreeBSD, é mais um da arvore do BSD.
    Parabéns, e continuem assim. Aguardamos o Pod sobre Suse.

    • tecnolog disse:

      Ramires, legal que gostou do episódio, em algum momento falaremos mais sobre os outros “sabores” BSD.

  5. George Tavares disse:

    Olá Tecnologia Aberta.

    Excelente podcast. Acho que a única coisa que faltou comentar foi o instalador do openbsd, que poderiamos chamar de arido. Ele é todo em modo texto, e não usa bibliotecas como curses que permitiriam usar menus e setas. São perguntas textuais inclusive para o particionamento de disco.

    Gostei muito dos comentarios da origem do Unix e BSD e gostaria de complementar que após o Unix ter sido desenvolvido e começar a ser amplamente usado nas universidades, a Universidade de Berkeley reescreveu boa parte do unix. Primeiro reescreveram a pilha TCP/IP removendo os arquivos com propriedade do Unix e chamaram de NET-1 BSD . Depois reescreveram os demais arquivos com propriedade do Unix e portaram para a arquitetura 386 , criando o NET-2 BSD. Os detentores da licensa do unix original entraram com um processo alegando que o bsd possui ainda arquivos com propriedade intelectual do unix, o que gerou um processo moroso que teve um acordo em 1993 , onde ambas as partes fizeram cessoes. Alguns arquivos com propriedade intelectual do unix já estavam disponiveis em livros didaticos sobre sistemas operacionais, permissao concedidos pelo proprio detentores do unix e alguns arquivos do bsd foram removidos e reescritos, criando assim o 4.4BSD-lite e todos foram encorajados a usar essa release ao inves das anteriores. A arvore dos BSD derivam desse codigo do 4.4 BSD.

    • O motivo do instalador ser textual e bem “árido” como falaram é simples: “Why isn’t there a graphical or curses(3) based installer?
      For a number of reasons, including the goal of keeping the installation boot media able to be a single floppy disk, the fact that one installer can be used on all platforms in all configurations, and the fact that after the second or third OpenBSD install, most users find the OpenBSD installation system among the fastest and easiest installers of any OS. Most developers and users greatly prefer the speed, power, and ease of use of the current installer to any of the more “colorful” or “pretty” installers on some other platforms.”
      Fonte: http://www.openbsd.org/faq/faq1.html

      Acreditem eu já passei por maus bocados em máquinas intel onde por algum motivo o vídeo dava problema e não consegui instalar nenhuma distro linux, nem netbsd, nem freebsd, apenas OpenBSD.

  6. Everton Melo disse:

    Ola o Sistema Baseado em Unix Brasileiro era o SOX
    fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/SOX_%28operating_system%29
    outra fonte: http://sox-4s.pbworks.com/w/page/7219509/FrontPage
    olha quem foi um dos cabeças do projeto!
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Julio_Cezar_Neves

  7. Everton Melo disse:

    uma paper interessante sobre licenças de software livre:
    http://ccsl.ime.usp.br/files/relatorio-licencas.pdf

  8. Ótimo episódio sobre software livre fora do mundo GNU/Linux. Sempre achei interessante as opções BSDs, porém como Desktop não está muito viável para mim e não tenho servidores para ao qual poderia testá-lo. Por enquanto fica restrito o uso da família BSD nos meus consoles.

  9. Everton Melo disse:

    foi so o Antônio comentar sobre vulnerabilidade no Kenel Linux sobre ‘escalonamento de privilégios’ eu achei a: CVE-2014-9322: local privilege escalation, all kernel versions ( Linux kernel: multiple x86_64 vulnerabilities )
    fonte: http://seclists.org/oss-sec/2014/q4/1052

    eu uso o Ubuntu como desktop mas o tempo ta me fazendo ver que mesmo um Kernel linux tem suas desvantagens, to pensando seriamente em migrar para um FreeBSD ou PC-BSD se nao fosse a Steam eu ja teria ido.

  10. Milton Alexandre disse:

    Gostei bastante, mas uma coisa que senti falta no site do Open-BSD foi que não achei uma espécie de “Open-BSD Handbook” como existe no FreeBSD.
    Existe alguma documentação “padrão” pra quem nunca utilizou?
    Outra coisa que achei bastante interessante foi o artwork presente no site do Open-BSD, inclusive tem uma música (“Home to Hypocrisy”) satirizando o episódio envolvendo o Stallman.

  11. Ernandes Fernandes disse:

    Reescutando este episódio, reparei que por volta do minuto 36 é dito que o OpenBSD não tem binários ou blobs. Agora fiquei em dúvida, há algumas semanas descobri um projeto chamado “Liberty BSD” (http://www.libertybsd.net/) que se propõe a fazer uma versão “deblobbed” (ou seja livre de blobs ou “desblobada”) justamente do OpenBSD! E se refere aos arquivos da página (http://cvsweb.openbsd.org/cgi-bin/cvsweb/src/sys/dev/microcode) como exemplos de “several pieces of nom-free, binary only firmware”. O Antônio ou mais algum conhecedor de BSD poderia esclarecer o caso?

    • Ernandes, de fato. Se entrar na pasta e ler os código, observará que estes são código legados, códigos incorporados em versões antigas. Contudo, não é não simples, retirar repentinamente esses blobs legados. Por outro lado, perceba que os firmwares que são baixados para o sistema usando o “/usr/sbin/fw_update” não fazem parte do sistema. Deste modo o usuário tem a decisão de fazê-lo ou não. Perceba que não existem novos blobs sendo adicionados, diferente de outros Unix-like onde é uma prática comum incorporar esse tipo de código na base tree, muita das vezes no próprio kernel.

  12. Ernandes Fernandes disse:

    Ou seja, o que temos atualmente no Open BSD não é um sistema totalmente livre de blobs, mas sim um sistema que caminha para tal. Algo como o Trisquel, cuja meta é ser um Ubuntu-like plenamente usável sem blobs.
    O OpenBSD tem algum plano para retirar blobs ou os autores do LibertyBSD estão certos em fazer um fork para tal? (ou seja um Trisquel do BSD)?

    • Só para esclarecer, compare os “blobs” de outros Unix-Like e maneira que o OpenBSD os segrega do sistema. De fato, usar um blob é um ultimo recurso dentro de um hardware que a própria equipe usa. O fato de ser “blob” não significa que ele é malévolo. Quando falei que o sistema não tinha blobs é comparando com os outros sistemas que os incorporam de forma invisível. Você talvez pense: – É tudo blob…
      Enfim, compare com outros sistemas que vc verá a diferença. Para maiores dúvidas, entre para a lista misc@openbsd.org e poste a pergunta.

  13. Ernandes Fernandes disse:

    Não quis polemizar, apenas questionar: “Se o OpenBSD é livre de blobs, qual a razão se ser de projetos como o LibertyBSD?” a fim de conhecimento, não para desmerecer o trabalho do OpenBSD.
    Enfim, agradeço ao convite para a lista de OpenBSD mas, por enquanto, meu interesse é muito mais em GNU/Linux e na iniciativa do Trisquel e de outros “Debian(ou Ubuntu)-like” do que em BSD, conheço pouco de sistemas Unix-like e considero mais fácil começar minha jornada pelos Debian-like do que começar por qualquer outro Unix-like.
    Talvez cheguemos ao dia em que os sistemas BSD sejam mais “user-friendly” (não me refiro ao OSX, e sim a BSDs organizados pela comunidade) e se difundam mais, por enquanto continuo com os meus Ubuntu-like e torço pelo sucesso do Trisquel (um Ubuntu-like livre de blobs), do Ubuntu (que tem blobs e falhas de segurança, mas trouxe e continua trazendo novos usuários ao mundo Unix-like, usuários estes que, no futuro, com mais conhecimento, podem até migrar para os BSD!) e do Debian (onde tudo começou para o nosso ramo do GNU/Linux).

  14. Olá. Muito boa essa conversa! Só um pequeno deslize: o Linux não é um Minix modificado. O Linus estudou muito o Minix, e então partiu pra sua solução: http://wiki.minix3.org/doku.php?id=faq#linus_has_been_accused_of_stealing_linux_from_minix_is_that_true

    • Antonio Feitosa disse:

      https://groups.google.com/forum/#!msg/comp.os.minix/4995SivOl9o/GwqLJlPSlCEJ

      “ALERT! WARNING! NOTE! These sources still need minix-386 to be compiled
      (and gcc-1.40, possibly 1.37.1, haven’t tested), and you need minix to
      set it up if you want to run it, so it is not yet a standalone system
      for those of you without minix. I’m working on it. You also need to be
      something of a hacker to set it up (?), so for those hoping for an
      alternative to minix-386, please ignore me. It is currently meant for
      hackers interested in operating systems and 386’s with access to minix.”

  15. Atualização sobre a questão dos Blobs e dos firmwares que o OpenBSD usa:

    http://marc.info/?t=143354966400002&r=1&w=2

  16. Emerson Silva disse:

    o conteúdo é excelente, porém a musica de fundo não agrega… na verdade, polui.

Deixe seu comentário

Website