Falando Sobre Sistemas Operacionais.

Dois gênios. A primeira versão do Unix foi feita em um final de semana.

Dois gênios. A primeira versão do Unix foi feita em um final de semana.

Hoje temos inúmeros sistemas operacionais disponíveis. Linux, OpenBSD, FreeBSD, NetBSD e os novos tipos adaptados a dispositivos móveis Android, Firefox OS, entre outros. Nesse cenário acho pertinente falar sobre uma famosa discussão nos primórdios do Linux que com a nova realidade de alternativas de sistemas operacionais da atualidade se tornou mais relevante.

Para entender o contexto é preciso saber um pouco da história do Linux. Linus Torvalds estudou o sistema operacional criado para fins educacionais de Andrew S. Tanenbaum e o que começou com adaptações do código-fonte deu origem a um kernel novo que viria a ser o Linux. Para se ter uma ideia da importância de Andrew S. Tanenbaum no estudo de sistemas operacionais, ele escreveu o que é até hoje o melhor livro-texto de sistemas operacionais, que além de mostrar toda a teoria por trás do sistema operacional, traz o código fonte comentado de um sistema operacional totalmente desenvolvido para fins didáticos em contrapartida dos outros livros que somente apresentam a parte teórica. O Minix, seu sistema operacional, nunca teve a pretensão de ser um sistema  para fins de produção e Tanenbaum sempre priorizou o aspecto educativo do projeto. Por causa disso Linus Torvalds motivou-se a construir um que ia além das capacidade do Minix.

Andrew S. Tanenbaum. Ele não apenas sabia como fazer um bom S.O, como ensino uma legião a como fazê-los.

Andrew S. Tanenbaum. Ele não apenas sabia como fazer um bom S.O, como ensinou uma legião a como fazê-los.

A discussão ocorreu quando Linus adotou a arquitetura monolítica para o desenvolvimento do Linux, quando o Minix possuía uma arquitetura baseada em microkernel. Na primeira, o kernel é um grande software, com todas as funções interligadas em um grande programa. A segunda, prioriza a modularidade criando um núcleo pequeno que acessa os serviços por interface do tipo cliente-servidor. Tanembaum em seu livro afirmou que a arquitetura monolítica é ruim por agrupar tudo em um bloco que acaba se tornando uma grande bagunça. A discussão com Linus se tornou célebre e até hoje divide opiniões.

E foi assim que o Linux foi criado. Não se pode negar a presença da cerveja nas melhores criações da humanidade.

E foi assim que o Linux foi criado. Não se pode negar a presença da cerveja nas melhores criações da humanidade.

Para entender o problema melhor é preciso entender a motivação de Tanenbaum. Antigamente, na época do DOS e até do início do Linux, um sistema operacional, poderia ser escrito por uma pessoa. Com o passar do tempo os kernels da maioria do projetos se tornaram coisas gigantescas, impossíveis de ser entendido em sua totalidade por uma única pessoa. Basta baixar o código fonte de um kernel como o do linux pra ver que estamos falando de projetos gigantescos. Sim, na época existiam sim, grandes projetos de sistemas operacionais, como os disponíveis nos mainframes da IBM, mas a questão que Tanenbaum levantou era a constatação que os sistemas operacionais estavam se tornando gigantescos, mal estruturados e cheios de erros difíceis de serem detectados. E um dos motivos estava na arquitetura monolítica, que até hoje é uma das mais usadas pelos sistemas operacionais. O micro-kernel com alta modularidade foi uma das propostos de Tanenbaum para a solução desse problema. Linus, que conheciam bem o Minix, não achou a solução tão interessante e criou o Linux com uma arquitetura monolítica, segundo ele, de uma forma mais modularizada.

Se a solução de Tanenbaum é ou não a melhor, é uma questão polêmica que exige conhecimento técnico. Mas o que é difícil de alguém discordar é que as projeções do Tanenbaum no fim, estavam certas. Hoje os sistemas operacionais são tão grandes e complexos que gerenciar erros é uma tarefa árdua que está se tornando cada vez mais difícil. E não existe nenhuma perspectiva de melhora para esse cenário preocupante.

Comportamento, Hardware, linux , , , , , , 16/10/2015 14:29 2 Comentários

2 Comentários

  1. Antonio CV Silva disse:

    quem diria? depois de todos estes anos usando o isfenicídio, descubro que foi resultado de um porre homérico de linus.
    .
    sempre desconfiei daquela cara de pinguço!

  2. Ismande disse:

    Não podemos esquecer da pança também hehe.

Deixe seu comentário

Website