Opencast #74 – A Morte do Unity

Está no ar mais um episódio do Opencast. Neste episódio Ivan, Diego e Thiago falam de algumas notícias e o supreendente fim do Unity 8 e do Ubuntu Phone.

Se você é do Rio Grande do Sul ou Santa Catarina e precisa de serviços de cabeamento estruturado, câmeras de segurança dentro do padrão de cabeamento estruturado, nobreaks(venda e manutenção), som ambiente, equipamentos de informática de padrão corporativo ou ainda consultoria na área de T.I., não deixe de entrar em contato com nosso patrocinador Dataware pelo telefone (54) 3712 0177.

Links do episódio

Libera Geral

Twitter: @tecnologiaabert

Facebook: http://www.facebook.com/tecnologiaaberta

Google+: Tecnologia Aberta

Instagram: @ubunterobr

Youtube: Tecnologia Aberta

E-Mail: opencast@tecnologiaaberta.com.br

Feed do Opencast: http://tecnologiaaberta.com.br/feed/opencast/

iTunes: http://itunes.apple.com/br/podcast/id424732898

Opencast , , , , , , , , , , , , , , , 09/04/2017 22:40 2 Comentários

2 Comentários

  1. Rogério Calsavara disse:

    Saudações Opencasters,

    Sou mais um orfão do Unity. Adoro a interface e até fico chateado quando vejo tanta gente criticando o Unity. Estou atualmente usando o Mint, mas apenas porque tive problemas de configuração ao instalar o Ubuntu, mas queria mesmo estar com o Ubuntu com o Unity. Parece que agora vou ficar só na saudade mesmo…

    Obrigado pelo programa!

    Rogério Calsavara

    PS: Também não gosto das mensagens de voz do Whatsapp pelos mesmos motivos que o Ivan explicou. Vamos fazer uma campanha contra as mensagens de voz? Vá lá que em algumas situações a mensagem de voz até se justifica, mas 99% da vezes deve ser apenas preguiça de escrever mesmo…

  2. Marcelo Teixeira disse:

    Olá! Espero não ter demorado demais para comentar… Acho que o fim do Unity é a pá de cal sobre o ‘desktop linux para as massas’, aquela ideia, errônea ao meu ver, de que o Linux seria adotado por uma grande parcela de usuários “normais”. Não que o Desktop Linux vá morrer, mas será sempre um nicho dentro de um outro nicho, que é o que o desktop PC está se transformando. Agora se tem um lado positivo nisso, é que os desenvolvedores poderia focar mais na qualidade dos aplicativos do que na bendita compatibilidade com os similares windows. Exemplo? O LibreOffice poderia implementar recursos sem precisar se preocupar se seus documentos seriam ou não compatíveis com o ms-office. Façam a alegria dos usuários fiéis e parem de perder tempo tentando agradar os de fora… O Linux é um sucesso aonde ele realmente importa, que é no servidor. No mobile, graças ao Android, também domina. O desktop é o primo pobre, que poderia se transformar em uma Apple, senão em tamanho, talvez em estilo.
    Obrigado a vocês por não desistirem do podcast, um dos únicos que tratam de Linux e Software Livre em geral, em português. Morando no Japão, é a única maneira de me manter atualizado. E fica o pedido de pauta para ‘darem uma olhada’ nos BSD’s para uso no Desktop, uma dúvida pessoal que persiste. Valeu!

Deixe seu comentário

Website